filme e debate

Neste último sábado, 26 de agosto, ocorreu no Alpharrabio mais uma rodada do ciclo de documentários Prova dos Nove, que vem sendo realizado desde o mês de abril e prosseguirá mensalmente até novembro.
Desta feita, foi exibido o documentário “A Pessoa é para o que nasce”, do diretor Roberto Berliner (2004). Para comentar o filme e coordenar o debate, foi convidado o dramaturgo e roteirista (cinema e Tv) Luís Alberto de Abreu.
Dentre as inúmeras colocações feitas por Abreu, destacamos aqui, aquelas que mais provocaram reação e debate acalorado entre a platéia, composta por cerca de 40 pessoas:
-”Até que ponto podemos considerar e discutir este filme como “documentário”
- “Até que ponto o procedimento deste filme caminha em direção do documento, da verdade. Até que ponto ele é ficcional. A arte, sabemos, não pode ser expressão da verdade absoluta, esse detalhamento da realidade absoluta remete ao personagem, Funes, el memorioso, de Borges, e então o filme precisaria de uma vida para lembrar todos os detalhes dessas vidas ”
- “A questão central é: até que ponto este filme, esteticamente composto, expressa a realidade dessas três pessoas, e até que ponto ele é legitimador dos propósitos do discurso do realizador?”
- “É legítimo retirar imagens do real para estabelecer um discurso fechado, que é o próprio tema do filme, ou seja, tentar mostar que a pessoa é para o que nasce?”
- “o tema da cultura popular neste filme é muito forte. Pergunto: até que ponto essa cultura entra em outras culturas maiores e até que ponto ela entra aqui como discurso e espetaculação?”
É claro que muitos concordaram que seria impossível esgotar o assunto num mero debate, mas é possível imaginar como essas questões ficaram cutucando a cuca de todos aqueles que assistiram ao filme e participaram do debate. As imagens, agora não mais nas pupilas, mas apalpadas na memória, mastigadas pelos dentes do prazer estético. Depois de ver, revler. um filme é um filme, é um filme, é um filme…
Essa atividade, que ocorre paralemente a outro ciclo de debates, Idéias de Encontro – Pensamento atual, também mensal (vide programação completa no sítio www.alpharrabio.com.br , conta com o decisivo apoio da Faculdade Editora Nacional, FAENAC – São Caetano do Sul, que, além do fornecimento de cartazes e folders, cede equipamento de projeção e fornece certificados de participação.
É isso…
(dtv)

Abreu

About Dalila

Dalila Teles Veras, escritora, proprietária da Alpharrabio Livraria e Editora
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

6 Responses to filme e debate

  1. Gostei muito de ver o Alpha com blog, blogue, diário de comentários :)

    Um universo e partilha estimulante

    abraços
    Constança

  2. possidonio says:

    Viva! 0 nosso querido Alpharrabio inaugura um novo espaço, que certamente vai ensejar mais comunicação imediata, mais informações, e mais certeza de que o espaço de cultura e relações afetivas cada vez nos faz estimar sua criadora e pessoas com ele comprometidas. Apesar de meus involuntários cochilos durante a exibição do documentário, por conta de uma noite maldormida, acompanhei a exibição do documentário e também os comentários do competente Luís Alberto de Abreu, que tão bem transcritos dão idéia da importância deste blogue, que permite para quem presenciou o acontecimento uma releitura; e para quem não, uma oportunidade de tomar conhecimento do biscoito fino aqui preparado para que tem bom gosto. Parabéns!

    Antonio Possidonio Sampaio

  3. Paulo Chacon says:

    Ehhhh, Dalila!!!!
    Voltamos à nossa velha discussão. Real ou virtual? Eis a questão!
    Por que “OU” né, querida amiga! A hora é de somar! Real E virtual!!!
    Não sabe como fico feliz em reencontrar vocês aqui. O negócio do blog é muito sério. Está fazendo uma revolução em cima da revolução na maneira de as pessoas interagirem. Não tem volta, Dalila. Até eu já fiz um, neste endereço que você vê, com umas bobagens escritas.
    E, embora eu saiba que você privilegia o contato pessoal – no que está certíssima – nunca se escreveu tanto, nunca se publicou tanto (nos blogs), nunca se usou tanto a linguagem escrita, nunca se democratizou tanto o exercício da literatura. E eu sei que isso tudo também faz parte da sua luta de sempre.
    Nada se faz sem pagar preços. Nem tudo é bom. Nem tudo leva a uma boa escrita e a uma boa leitura. Mas o caminho é irreversível. O universo dos blogs está aí para ser explorado com tudo o que tem de bom e de ruim. E eu fico muito feliz em ver o Alpha tomando seu espaço neste universo também, com o mesmo espírito empreendedor e subversivo, no bom sentido.
    Uma vez você escreveu para mim que sempre defendeu a idéia de que a literatura deveria ir do “melhor para o melhor”: “do melhor que o autor pode fazer para o melhor leitor”.
    Nada melhor do que um blog pra praticar essa liberdade.
    Vou freqüentar o blog do Alpharrabio e espero voltar a freqüentar o Alpharrabio, fora do blog.
    Beijos a todos!!!!
    Chacon

  4. Paulo Chacon says:

    P.S. O link do blog do Alpharrabio já está na página principal do meu.

  5. Olá Dalila, parabens pela novidade.

    Estarei divulgando seus eventos e novidades como sempre… em meu grupo de discussão do yahoo, no orkut, nas comunidades em que sou moderadora. Admiro e respeito seu trabalho divulgarei com prazer.

    http://br.groups.yahoo.com/group/clinica-integrare/
    http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=775513
    http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=8285921352086176521
    http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=8092588
    http://www.clinicaintegrare.com.br

    Sucesso!

    Eliana Guimarães

  6. Bom demais, mais um espaço para me achegar sempre.
    Valeu, gente, parabens.
    Vou indicar nas minhas páginas.
    Beijabrações
    http://www.luizalbertomachado.com