Quando o apito da fábrica silencia

Apito02

A despeito da região do Grande ABC ainda ser considerada por muitos (seus próprios moradores, inclusive) como região periférica, suburbana (Subúrbio em relação ao Centro – a Capital), prova cada dia mais que possui uma enorme capacidade criativa e uma inteligência capazes de dar respostas aos crescentes problemas dentro da complexidade de um “mundo” brasileiro com cerca de dois milhões e meio de almas.
Pois foi nesta última segunda-feira, 19.5.8, que o produto de uma dessas cabeças pensantes foi apresentado ao público no Alpharrabio: “Quando o apito da Fábrica Silencia – Sindicatos, empresas e poder público diante do fechamento de indústrias e da eliminação de empregos na região do ABC, livro do economista Jefferson José da Conceição, que inaugura a Editora ABCDMAIOR.
Uma festa intelectual digna de nota, à qual compareceu o Ministro Miguel Jorge, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, dentre outras autoridades, Professores universitários e escritores como Luiz Roberto Alves (USP e UMESP), Alexandre Takara (UMESP) e Sílvia Helena Passarelli (Universidade IMES), Antonio Possidonio Sampaio, autor de Lula e a Greve dos Peões e A capital do Automóvel, Valdecirio Teles Veras, autor de Na Trilha do Trem, Hildebrando Pafundi, autor de Cotidiano e Imaginário do Ano 2000, Zhô Bertholini, editor da revista A Cigarra, dentre os muito intelectuais e artistas presentes. Trata-se de um aprofundado estudo e reflexão sobre o processo de reestruturação produtiva regional, um livro “que trata, de forma singificativa, das agruras de uma região cuja população, conseguiu juntamente com suas instituições fortemente ancoradas na sociedade civil, superar, em parte, a crise que se abateu sobre esse território na última década do século passado”, no dizer do prof. Iram Jácome Rodrigues, da Universidade de São Paulo. O livro é uma versão da tese de doutoramento do Prof. Jefferson, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia, do departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, em 2006.
Os apitos das fábricas, marcas a marcar o tempo da região na segunda metade do Século XX, são, assim, substituídos pela produção intelectual e cultural, campo que, hoje, emprega mais gente do que a robotizada indústria automobilística. (dtv)

Apito01

About Dalila

Dalila Teles Veras, escritora, proprietária da Alpharrabio Livraria e Editora
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Comments are closed.