A festa livrespaciana continua

Livrespaco111008 1
Suzana Kleeb, Historiadora do Museu de Santo André, abre o encontro

As comemorações dos 25 anos do Grupo Livrespaço seguem cumprindo a agenda, sempre revestidas de colorações inesperadas e afetivas.
Neste último sábado, 11.10.08, em nova rodada de depoimentos no Museu de Santo André, as (re)memórias trouxeram para o presente momento aqueles que um dia (e sempre) tentaram seduzir para a poesia bem como aqueles que, seduzidos, seguiram por essa seara tão pouco trilhada mas tão definitiva para outros.

10 Livrespaco111008 2

Ali estavam (da esquerda para a direita da foto) Glorinha Shimabuco, Inhadjara Yamamura, Maria de Lourdes Ruegger Silva (José Marinho do Nascimento, do grupo Livrespaço, atuando como mediador), Wagner Antonio Calmon Ferreira, Mestres que fizeram/fazem do ato de educar verdadeira missão de vida e que nos idos anos 80/90 acolheram as propostas do grupo, incorporando-as em suas respectivas salas de aula e/ou divulgando os trabalhos dos poetas em sua esfera de atuação. Ouvir desses mestres, assim como aconteceu no sábado passado, palavras de reconhecimento, sabendo-os cúmplices dessa trajetória, foi, ao menos para esta escriba, um recordar no seu verdadeiro sentido etimológico (re-cordis: passar novamente pelo coração). E, confessadamente seduzidas, Alessandra Paula de Noronha (à época jovem estudante cursando Magistério e hoje professora do Colégio Termomecânia) e Miriam da Silva Nascimento (também à época estudante do ensino médio e hoje bibliotecária daquele mesmo colégio) falaram do impacto que os poetas do grupo provocaram em seu viver adolescente e que hoje tão surpreendemente recordam e enaltecem.
Ao final do encontro, brindados com saborosas iguarias pela gentil equipe do Museu, sempre atenta a todos os detalhes, os presentes continuaram a re-cordar, enquanto os poetas autografavam o livro Seduzir para a Poesia – A trajetória do grupo Livrespaço 1983-1994.
A exposição na Sala Especial do Museu segue recebendo muitos visitantes que ali também deixam poemas num varal especialmente preparado para isso. Que a poesia prossiga atropelando os passantes, pedra revestida de significados. (dtv).

About Dalila

Dalila Teles Veras, escritora, proprietária da Alpharrabio Livraria e Editora
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

6 Responses to A festa livrespaciana continua

  1. rosana chrispim says:

    Cara Dalila, não importa que sejam poucos (gostaríamos que fossem muitos mais, é claro), mas sabemos que a poesia jamais morrerá, ao contrário, terá sempre essa forçae o poder de tocar e mobilizar. Porque a palavra da poesia não é só palavra, é uma história inteira, é um quadro inteiro! Assim como o Livrespaço não foi apenas um grupo de poetas!

  2. Constança says:

    preguiça, muita coisa para fazer, atelier sedutor, paisagens, transportes, tantas coisas e eu não fui no sábado, tinha querido ir

    mas o que importa é a poesia

    abraços cordiais
    Constança

  3. Vitória Espósito says:

    Caros Poetas-educadores
    Sedutores que com sua poesia nos tornam mais sensíveis para a beleza o meu abraço e MUITO OBRIGADA!
    Amei reencontrar educadores como Glorinha, Lourdina, Therezinha, o Fila e com eles saber de outros tantos que fizeram parte de nossa trajetória de vida.
    Dalila, o meu abraço.
    Vitoria Espósito

  4. Levi Araújo says:

    Caros Poetas-Profetas!

    Graça, Paz e Bem sejam sobre vocês.
    Estamos terminando mais um periodo eleitoral….., estou saudoso e sedento por encontros que alimentam a alma.
    Belo e sedutor o presente relato.
    Festas assim devem continuar.
    Na Jornada,

    Levi

  5. isa says:

    Que invejazinha de não estar aí. Quando se entra neste Alpha-Templo, respira-se determinação, arrojo, firmeza, cumplicidades, verdadeira paixão pela vida (arte) sob qualquer forma. Imagino o que será in loco.

    Seja qual for a finalidade ou o mote, todo o processo de criação deve ser feito com amor e por amor. Só assim será intemporal.

    Se é que existe o intemporal, certamente a Poesia é-o.

    Agora foram as bodas de prata, até às de ouro, como diz Rosana, muito há que “tocar e mobilizar”, porque a poesia é a Palavra Intemporal.

  6. margarita Lo Russo says:

    Como dijo Susana “El sol estaba afuera y adentro” y digo yo era la luz de la vida, la poesía en su manifestación más pura la de los maestros, aquellos que en el decir de Gabriela Mistral llevan por el mundo el nombre del Más Grande de los Maestros “Jesús”. Qué emción escuchar, ver y sentir que la semilla que plantamos hace 25 años había fructificado.
    Salve la poesía!!