Monturo

Há tempos, o prédio situado na rua Eduardo Monteiro, nº 206, bem em frente ao Alpha, passava por uma reforma. Anunciava-se para o local uma loja de colchões e, no andar superior, um escritório de arquitetura. Após alguns meses de trabalho, o construtor abandonou a obra (em desabafo aos vizinhos, alegou falta de pagamento). A partir daí, ninguém mais ali apareceu (nem construtor, nem locatário, muito menos o proprietário). A caçamba onde o construtor havia depositado o entulho da reforma, foi recolhida e, presumivelmente, também por falta de pagamento, o motorista que a veio retirar derrubou o conteúdo da mesma no espaço que seria reservado a estacionamento do prédio.

monturoblog01

A partir daí, com aparência de abandono e a conhecida falta de cidadania vigente (é preciso que se diga que estamos falando de um chamado “bairro nobre” de Santo André), o local transformou-se no “lixão” preferido do bairro. O lixo é mutante. Muitas das coisas que ali são deixadas logo são aproveitadas por outras pessoas para, logo a seguir, o local receber, na calada da noite, novos descartes, substituindo e aumentando o monturo que, assim, vai-se acumulado e abrigando insetos e outras espécies (roedores já foram vistos saindo dali).
Como o prédio está situado em um declive, a cada chuva forte (e olha que não tem sido pouca no último mês) parte desse lixo vai parar nos bueiros, um pouco mais abaixo.
Como nenhum responsável pelo imóvel aparece (ao menos à luz do dia), contatamos o SEMASA, mas uma atendente alegou “não ser de sua responsabilidade” a retirada do lixo. Tentaremos comunicação com o Sr. Saul Gelman, recentemente eleito (pela terceira vez) ouvidor da cidade, a ver se a situação é resolvida.

monturoblog02

Enquanto isso, impávido e indiferente, o tomateiro que ali nasceu prepara-se para dar frutos.
Já dizia Baudelaire: “De uma cidade a história depressa muda, mais que um coração infiel”, referindo-se à “moderna” cidade de Paris do Século XIX. O moderno ficou velho e muito piorado. (dtv)

About Dalila

Dalila Teles Veras, escritora, proprietária da Alpharrabio Livraria e Editora
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Comments are closed.