agosto 11 às 11 – manhã de sol e devaneios

Convocados (Fátima e Luzia Maninha no comando andreense), atendendo ao silvo do compartilhamento, vieram. Rio-Sampa-Santandré. Gente que faz arte, compartilha, reparte, discute, presenteia olhares e recebe outros, fusão que requer boa dose de humanidade e vivência da intencionalidade poética.

devaneio001

O sol ardia em pleno inverno.

devaneio0001

Ninguém arredou pé, fatalizados que estavam todos para receber aquela manhã, ainda que os estômagos já reclamassem por fomes mais corporais e o sol escaldasse ao meio daquele belo dia.

devaneio01

A questão é a seguinte, como já disse Bachelard, em quem esse povo criativo do Ateliê Projeto Impresso se inspirou (Angela Rolim, Carmen Nora, Cecília Tavares, Djenane Pamplona, Evany Cardoso, Leonor Décourt, Marcia Rommes, Silvana Soriano, Sonia Távora, Teresa Stengel, Zula – as artistas): não confundir sonho com devaneio que é outra coisa (diferentemente do sonho, o devaneio não se conta, magister dixit ).

devaneio02

E a discussão viajou por aí, devaneando através de questões filosóficas e poéticas criativas.

devaneio1

“A fenomenologia da imagem exige que ativemos a participação na imaginação criante”. Fiéis à proposta filosófica de GB, as artistas atiçaram a imaginação e participação dos que vieram, viram, questionaram, celebraram, porque “há horas na vida de um poeta em que o devaneio assimila o próprio real”.

devaneio04

devaneio07

Real assimilado e (re)criado, ficou ali instituída uma ponte, uma nova ponte para além das oficiais, das mega pontes das empreiteiras.

devaneio05

Uma ponte invisível, afetiva, artística. Ponte a ligar gentes e artes, Santandré-Sampa-Rio, Rio-Sampa-Santandré. Ponte de afinidades eletivas. Contrato assinado a tinta de imprimir, papel reciclado e ideias em movimento.

Do Rio vieram as artistas Teresa e Zula, de Sampa, Leonor. Arte e corpos presentes.

devaneioastres

Do Rio também veio Angela, a líder agregadora, que adoeceu em Sampa, e de Sampa tudo acompanhou em video-conferência. Recuperada, dias depois, lá estava ela, presencial, “assimilando o real” próprio e alheio. E com sua presença, cumpriu-se o ciclo da missão Bachelard e firmou-se oficialmente o contrato da construção da ponte, com a assinatura faltante.

MuroAngela 3

devaneio08

Quem não veio, venha e veja. As obras ficarão ali até 21 de setembro, provocativas, convidativas, sedutoras, à espera de quem venha e cumpra-se na sua totalidade o fato estético do olhar (dtv)

devaneioset

devaneiovirtrina

devaneio06

About Dalila

Dalila Teles Veras, escritora, proprietária da Alpharrabio Livraria e Editora
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

One Response to agosto 11 às 11 – manhã de sol e devaneios

  1. Julia Fernandes Souza says:

    Difícil descrever o que foi este devaneio coletivo. Foram momentos de muita sintonia , troca de vivências e crescimento. Grata a todos que estiveram na Alpharrabio naquele 11 de agosto! Zula

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>