Poetas do Alpha XVII

tempo é o pseudónimo de espera

a espera partiu-se na noite
nas árvores das casas brancas
e nas coisas impossíveis procuradas em vão,
nos sonhos que nos acompanham
a espera faz-se longa e esquecida
pergunta quem sou eu, não nos mares
mas em ti que habito a cada dia
eu que sinto excessivamente tudo
no meu coração sem sossego
há-de o mundo ter descanso.

Constança Lucas, coleção mimos (Alpharrabio Edições / Tipografia luar)

alpha 17 Constanca
imagem: isaferreira, “à boca do (a)Mar… (m)ar…(a)mar(ar)…”

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>