Os 22 e o registro da Festa dos 22

Sábado, 22 do 02 (2014). Manhã. Sol. Após uma semana de trabalhos intensos e colaborativos, lá estava o Alpha, retocado, já velhinho e sempre novo, pronto para receber e celebrar.

01 2

55

Ainda na calçada, bem em frente ao número 151, da rua Dr. Eduardo Monteiro, as “pistas” para a proposta do que ali iriam encontrar os convivas.

Alpha22Expo  12

Luzia Maninha, idealizadora e realizadora de (quase) toda produção que por aqui passa, sempre em silêncio nos bastidores, desta vez foi a protagonista, mesmo sem admitir. A sua generosa contribuição a esta história, resumida numa instalação composta por centenas de fotos de sua autoria, preencheram as paredes da livraria e celebraram, bem ao seu jeito, sempre coletivo/ colaborativo, os 22 anos da Livraria Alpharrabio.
Trouxeste a chave? Os Alphas no Alpha – Ano 22, foi o título dessa bela e significativa instalação, composta por centenas de chaveiros com fotos que retratam pessoas e acontecimentos no Alpharrabio ao longo destas duas décadas, mais dois, marcaram a festa de aniversário e o coração dos presentes. Socióloga de formação e alpharrabiana de entrega total, desde sempre comprometida com a coletividade, Maninha vem registrando em imagens todas as atividades da livraria desde sua inauguração, em 21 de fevereiro de 1992.
Do seu impressionante acervo de milhares de fotos, a princípio analógicas e, a partir de um determinado período, digitais, foram selecionadas cerca de 500 imagens para a instalação, que dão bem uma ideia da atmosfera cultural e diversidade das atividades, que vão do debate de ideias a apresentações musicais, passando por lançamentos de livros, exposições de arte, espetáculos teatrais, cursos, workshops, oficinas e uma infinidade de encontros informais entre pessoas que ali vão procurar interlocutores. Gente daqui, gente dali, gente de mais além que se exprimiu através da arte e da sua humanidade e hoje constitui uma história singular.
E muitos dos retratados foram chegando e “se procurando” nos chaveiros. A cada chaveiro retirado, ficou uma assinatura que vai formando outra obra.

Ali estávamos a saborear o fruto das sementes. Comemoramos e, desconfio, que insistimos nestas comemorações anuais, como já foi dito aqui, para não esmorecer, exatamente por sabermos que atuam como combustíveis propulsores para novas viagens.
Daqui saímos energizadas para negar a loucura.
Mais uma vez, o registro pertence à fotógrafa (melhor seria factotum) Luzia Maninha e atestam que esta casa é um lugar, dentre outras e significativas coisas, de pertencimento e cidadania. (dtv)

02   Alpha220214  43

02   Alpha220214  46

02   Alpha220214  55

02   Alpha220214  57

02   Alpha220214  65

02   Alpha220214  67

02   Alpha220214  74

02   Alpha220214  75

02   Alpha220214  80

02   Alpha220214  85

02   Alpha220214  73

02   Alpha220214  76

02   Alpha220214  82

02   Alpha220214  102

02   Alpha220214  104

02   Alpha220214  105

02   Alpha220214  110

02   Alpha220214  113

02   Alpha220214  116

02   Alpha220214  120

02   Alpha220214  128

02   Alpha220214  133

02   Alpha220214  134

02   Alpha220214  144

02   Alpha220214  154

02   Alpha220214  169

02   Alpha220214  185

About Dalila

Dalila Teles Veras, escritora, proprietária da Alpharrabio Livraria e Editora
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>