Sábados PerVersos – XXV encontro Setembro 2017

O XXV encontro de Sábados PerVersos – a poesia em questão, contou com a coordenação das poetas Deise Assumpção e Conceição Bastos que trouxeram para discussão um poema de Manuel Bandeira, “A Estrela” e um poema de Hilda Hilst, X, do livro Da poesia que foram lidos à luz da escritura do homem (Manuel) e da mulher (Hilda), poetas.

A ESTRELA
Vi uma estrela tão alta,
Vi uma estrela tão fria!
Vi uma estrela luzindo
Na minha vida vazia.

Era uma estrela tão alta!
Era uma estrela tão fria!
Era uma estrela sozinha
Luzindo no fim do dia.

Por que da sua distância
Para a minha companhia
Não baixava aquela estrela?
Por que tão alto luzia?

E ouvi-a na sombra funda
Responder que assim fazia
Para dar uma esperança
Mais triste ao fim do meu dia.
in: Bandeira, Manuel, Estela da Vida Inteira, RJ, Ed. Nova Froneira, 1993, 23ª ed. Livro: Lira dos Cinqüenta´Anos, p. 174

X
Olhamos eternamente
para as estrelas
como mendigos
que eternamente
olham para as mãos.

E imaginamos
cousas absurdas
de realização.
Cousas que não existem
e cujo valor
é o de consistirem
parte da ilusão.

E olhamos eternamente
para as estrelas
porque parecem diferentes.
E quando agrupadas
eu as revejo individualizadas.
Estrelas… só.
Quem sabe se naquela imensidão
elas sofrem o mal dissolvente,
passivo,
mas dissolvente ainda: solidão.

Brilham para o mundo.
No entanto estão sozinhas
na lúgubre fantasia de pontas.

Nunca, meditem,
nunca as encontraremos
pois elas olham
igualmente para nós
e nos desejam
porque estão sós

In: Hilst, Hilda – 1930-204 / Da poesia / Hilda Hilst – 1a. ed. – São Paulo / Companhia das Letras, 2017 / Livro Presságio – poemas primeiros (1950)

O resultado foi uma belíssima e aprofundada discussão.

09   SPerversos17  1

09   SPerversos17  5

09   SPerversos17  10

09   SPerversos17  13

09   SPerversos17  16

09   SPerversos17  17

09   SPerversos17  19

09   SPerversos17  20

Ao final, o compositor, poeta e intérprete Meramolim que pela primeira vez compareceu a um dos encontro, brindou os presentes com uma canja, interpretando, acompanhado ao violão, uma de suas canções.

09   SPerversos17  21

About Dalila

Dalila Teles Veras, escritora, proprietária da Alpharrabio Livraria e Editora
This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>