Volta ao índice inicial

 

PROGRAMAÇÃO


setembro DE 2019


14 de setembro
conversa de livraria


17 de setembro
lançamento


28 de setembro
conversa de livraria


 

 SETEMBRO




14 de setembro (sábado) 11h às 13h

 

14 de setembro de 2019 [Sábado] das 11h às 13h

 

A Com-Arte – Editora Laboratório do Curso de Editoração e a

Livraria Alpharrabio convidam para o lançamento do livro

A Sociologia Enraizada de José de Souza Martins

Fraya Frehse (organizadora)

 

 

A Sociologia Enraizada de José de Souza Martins

Fraya Frehse (org.)

 

Esta coletânea sobre a obra de Martins é uma homenagem mais do que merecida. Ela permitirá que se ressalte sua contribuição para compreender a sociedade brasileira. “Sociologia enraizada” é o que sintetiza a perspectiva metodológica do Autor. A história revive no presente, modifica-o e, dialeticamente, é modificada pela vida. Fernando Henrique Cardoso, sociólogo.

 

Quinze ensaios, um poema, uma trilha sonora e várias fotografias compõem este livro. Trata-se de uma contribuição sui generis para a história das ciências sociais no Brasil, que busca examinar criticamente as diferentes facetas da sociologia produzida por José de Souza Martins, um dos maiores sociólogos brasileiros em atividade, nos seus mais de cinquenta anos de carreira. Por ângulos distintos, especialistas brasileiros e europeus em sociologia, antropologia, história, fotografia, literatura e música desvendam um modo único de pensar a vida social, que se destaca por valorizar as raízes do humano expressas em detalhes aparentemente menores do dia a dia de homens, mulheres e crianças no campo, na cidade e na fronteira, no centro e no subúrbio, na casa e na rua, na vigília e nos sonhos vividos no Brasil do passado e do presente – em busca de futuro.

 

c o l a b o r a d o r e s

Maria Arminda do Nascimento Arruda • Fraya Frehse • Leonilde Servolo de Medeiros • Zander Navarro • Chiara Vangelista • Elide Rugai Bastos • William Héctor Gómez Soto • Sérgio Adorno • José Machado Pais • Antonio Motta • Etienne Samain • José Jeremias • Marilia Pontes Sposito • Margarida Maria Moura • Carlos Rodrigues Brandão • Alfredo Bosi • Paulo Bomfim • Ivan Vilela

 

LANÇAMENTO:

 

Título: A Sociologia Enraizada de José de Souza Martins

Organizadora: Fraya Frehse

Páginas: 314

ISBN: 978-85-7166-188-2

Ano: 2018

Editora:  Com-Arte Editora Laboratório do Curso de Editoração da USP

 

Data: 14 de setembro de 2019 [Sábado] das 11h às 13h

Local: Alpharrabio Livraria

Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista

09041-300 - Santo André/SP - informações: 11 4438.4358

 



17 de setembro (terça-feira) 19h ás 21h

 


17 de setembro (terça-feira), a partir das 19h às 21h

 lançamento do livro
Sessões diárias e outros poemas
(Editora Fractal),

de Hélio Neri

 


 

 


17.09.2019, terça-feira, das 19 às 21h

Livraria Alpharrabio

R. Eduardo Monteiro, 151, Jd. Bela Vista

Santo André/SP – tel. (11) 4438.4358

 



28 de agosto (sábado) 11 ás 13h

 

28 de setembro de 2019 [Sábado] das 11h às 13h

Lançamento e conversa de livraria com

Eduardo Reina, autor do livro Cativeiro sem fim

 

 

 

Cativeiro sem fim, de Eduardo Reina, revela segredo da ditadura brasileira: sequestro de filhos de militantes políticos apropriados por militares

 

Trinta e quatro anos depois de ter sido proclamada extinta, a ditadura civil-militar brasileira (1964-1985) tem histórias que estão longe de ter acabado. São histórias que ficaram escondidas da população e dos livros. Histórias de sequestros e apropriação de bebês, crianças e adolescentes filhos de militantes de esquerda ou de pessoas contrárias ao regime ditatorial. Como um butim de guerra, as forças militares se apropriavam dessas vítimas, chamadas de “filhos de subversivos”, de “bebês malditos”. Na Argentina, há registro de 500 casos desse crime bárbaro contra a humanidade. No Brasil, o repórter Eduardo Reina, depois de ampla investigação, descobriu 19 casos de sequestro de bebês e crianças pela ditadura.

 

O livro reportagem é uma parceria com o Instituto Vladimir Herzog e Alameda Casa Editorial, conta as histórias de 19 bebês, crianças e adolescentes que foram sequestrados durante a ditadura. - 11 ligadas diretamente à Guerrilha do Araguaia e outras oito no Rio de Janeiro, em Pernambuco, no Paraná e no Mato Grosso. Com a ajuda de militares, servidores públicos, funcionários de instituições e de cartórios, as vítimas foram entregues a famílias de militares e a pessoas ligadas aos órgãos de repressão. Algumas ainda procuram seus pais biológicos, e outras continuam desaparecidas, mas seus familiares contam suas histórias.

 

A obra traz mais do que apenas relatos de sequestros e desaparecimentos de crianças e adolescentes. É o registro dos atos - jamais admitidos ou investigados - praticados por agentes da repressão aos movimentos de resistência à ditadura brasileira e demonstra o terrorismo cometido pelo Estado durante o período. A obra é uma produção meritória, escrita por um jornalista que acima de tudo é um cidadão a serviço da Memória, da Verdade e da Justiça. O prefácio é do repórter e escritor Caco Barcellos, e o posfácio da Procuradora da República e presidente da Comissão sobre Mortos e Desaparecidos Eugênia Gonzaga,

 

 

Sobre o autor: Eduardo Reina atuou como repórter, editor, colunista, diretor de redação, entre outras funções, em veículos como Estado de S. Paulo, Diário de S. Paulo, Diário do Grande ABC, Comércio do Jahu, Diário Popular, Guia 4 Rodas e outros. Também atuou como assessor de imprensa em empresas, autarquias governamentais e sindicatos. Formado em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo (1985), atualmente faz Mestrado em Comunicação Social na mesma instituição. Fez curso de complementação na Organização Internacional do Trabalho (OIT) na Suíça (1993). É ganhador de prêmios como Abril (1986, 1987), Estado (2010) e Imprensa Sindical (1993). Menção honrosa no prêmio Excelência Jornalística da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) (2010). Autor de Depois da Rua Tutoia (2016), No Gravador (2003) e integrante dos livros O Conto Brasileiro Hoje, Vol.5 (2007) e Contos e Casos Populares (introdução de Paulo Freire) (1984).

 

Sobre o Instituto Vladimir Herzog: o IVH é uma organização sem fins lucrativos, fundada em junho de 2009, para reiterar o compromisso do jornalista Vladimir Herzog - assassinado em 1975 por agentes do Estado, durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985) - com os valores mais altos da humanidade, implementando ações destinadas a preservar a Memória brasileira, promover o respeito aos Direitos Humanos e incentivar as boas práticas do Jornalismo. Nossa missão é contribuir para o engajamento da sociedade em uma cultura de Justiça, Democracia, Direitos Humanos e Liberdade de Expressão.

 

Serviço:

Lançamento e Conversa de Livraria com o autor Eduardo Reina

Data: 28 de setembro, 11h às 13h

Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista

09041-300 - Santo André/SP

 

Cativeiro sem fim

Eduardo Reina

Edição: Alameda (11 3862-0850) - Instituto Vladimir Herzog (11 2890-6650)

Preço e número de páginas: R$ 54,00 (310 págs.)

ISBN: 978-85-7939-575-6

Formato: 14x21 cm




 horário de funcionamento

de segunda/sexta, das 13 às 18h30

sábado, das 9h30 às 12h30

 

ATENÇÃO

Nosso endereço:
 Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
Santo André - SP - Brasil

Fone: (11) 4438.4358 - e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

www.alpharrabio.com.br

 

Visite a Livraria e o Café Alpharrabio

Índice | Livraria | Editora | Centro Cultural | Abecês | Mapa do Site | Envie o seu comentário